11ª Virada Sustentável

São Paulo, setembro de 2021 – Entre os dias 02 e 22 de setembro ocorre a 11ª Virada Sustentável na capital paulista. Neste ano, #MinhaMensagem é o tema norteador do maior festival de sustentabilidade do país, que traz mensagens importantes sobre este momento de construção coletiva para o futuro pós-pandemia. O tema permeia toda a programação do evento, que é gratuita e repete o modelo híbrido experienciado na edição de 2020.

As 100 frases da campanha foram elaboradas por 100 organizações de diversos setores da sociedade civil. As mensagens se conectam com os shows, apresentações artísticas e intervenções urbanas, e também estarão estampadas em mobiliário urbano, escadas de estações do Metrô, empenas de prédios e escolas distribuídos por várias regiões de São Paulo. “Nessa Virada, a cidade é nosso mural. Nosso objetivo é alcançar toda a população com mensagens positivas e de reflexão para que possamos sair da pandemia com um pensamento voltado à sustentabilidade”, conta André Palhano, um dos fundadores da Virada Sustentável.

Durante todo o festival, mais de 400 pontos da cidade estarão com as frases da campanha #MinhaMensagem, reforçando os conceitos de sustentabilidade em sua amplitude. Os cidadãos paulistanos serão impactados com esta ação, que estará presente nos pontos de ônibus, em grandes aplicações nas escadas de 18 estações do Metrô, além de projeções mapeadas em grandes empenas de prédios localizados em pontos centrais da cidade. Para Mariana Amaral, a campanha #MinhaMensagem é de utilidade pública: “estamos dando voz para várias organizações da sociedade civil, que nos trazem recados extremamente importantes sobre como podemos pensar o futuro pós-pandemia”.

Além das intervenções nas escadas, de 2 a 22 de setembro, dez estações do Metrô (Vila Prudente, Jabaquara, Sé, Tucuruvi, Paraíso, Barra Funda, República, Tatuapé, Clínicas e São Mateus) serão pontos de coleta de eletroeletrônicos e pilhas. A população poderá descartar produtos de pequeno e médio porte, como: computadores, celulares, cabos, carregadores, pilhas alcalinas, secadores de cabelo, console de videogame, que ganharão destino adequado no ciclo da reciclagem .

Ainda no Metrô, a Virada Sustentável leva a exposição “Sem Saída”, do cartunista estadunidense Andy Singer, para a estação Tatuapé, uma das estações de maior fluxo da cidade de São Paulo. Em seus cartoons, Singer traz uma reflexão sobre a mobilidade urbana. A exposição poderá ser vista durante todo o período da Virada Sustentável. Nas estações Paraíso, Luz, Sacomã e Brás, a exposição Embalagem Parade mostra como caixinhas tipo “longa vida” usadas podem ganhar utilidade depois de passarem por coleta seletiva.

Além disso, a 11ª Virada Sustentável traz, do dia 18 de setembro a 30 de outubro, a exposição “Rios DesCobertos – De frente para o Pinheiros”, que apresenta fotografias antigas do Rio Pinheiros na ciclovia do local. Com a curadoria do Estúdio Laborg, a mostra é um convite para ressignificar o futuro e o presente do Rio a partir do contato com seu passado. Por ser na ciclovia, a exposição só pode ser visitada de bicicleta, uma vez que é vedada a entrada de pedestres no local.Exposição “Sem Saída”, de Andy Singer, ocupa a Estação Tatuapé. Crédito: Matheus Sandes

Em sua primeira semana, o festival trouxe shows no Teatro Sérgio Cardoso de Lenine, transmitido ao vivo e com público presencial limitado, e o show voltado ao público infantil no formato de live do Grupo Triii, que convidou a Palhaça Rubra. No dia 11 é a vez da cantora Gal Costa se apresentar no Teatro, com live e público presencial reduzido; Zeca Baleira e Banda se apresentam em live para o público infantil no dia 12. Todos os shows levam, ademais, intervenções da campanha #MinhaMensagem.

Virada Sustentável ocupa o Centro Cultural São Paulo (CCSP) com uma intensa programação. Com mais de 50 atividades, o festival leva mostras de teatro infantil, circo, dança, performances, música instrumental, contações de história, exposições e iniciativas de promoção de bem-estar aos vários espaços do CCSP. A capacidade de público está condicionada às normas sanitárias vigentes no dia.

Dentre os destaques da programação do Centro Cultural estão o espetáculo “Vivência de Xequerês – Uma trajetória mística”, parte da Mostra de Performance, que busca trazer e valorizar a cultura ancestral; “Villa Lobos Popular”, parte da Mostra de Música Instrumental, que traz os elementos populares presentes nas músicas do compositor modernista. Na Mostra de Dança, destaca-se a apresentação “Projeto Turmalinas Negras”, que traz performances inspiradas pelas potências individuais de cada membro do grupo e na força do coletivo. Já em “Wangari Maathai”, que integra a Mostra de Contação de Histórias, Mafuane Oliveira narra a vida da ativista ambiental queniana Wangari Maathai, primeira mulher a receber o Prêmio Nobel da Paz.

 

“Projeto Turmalina Negras”, espetáculo de dança que acontece no CCSP, dia 12, 

Os Centros Educacionais Unificados (CEUs) participam da Virada Sustentável em ação realizada em parceria com Instagrafite, em que 7 grandes empenas serão grafitadas por 7 duplas de artistas, formadas por um artista do território da unidade e um artista convidado. Totalizando 4.882 m² de área grafitadaestas obras são interligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável elencados pela ONU. Alguns artistas e coletivos que estão envolvidos nesta intervenção são Linoca Souza, que será Artista Host no CEU Campo Limpo, tratando sobre diversidade, e convida AVAF, da capital paulista, para pintar a empena. Outro destaque é a intervenção feita pela Karina Kot no CEU Vila Rubi, abordando as mudanças climáticas, em parceria com o seu artista convidado, Denilson Baniwa

A Virada Sustentável também fará uma doação da escultura “Broto”, do artista Jaime Prades, ao Parque do Povo. Com 7 metros de altura, a escultura de aço simboliza o ciclo da vida, como uma semente que eclode organicamente, contrastando com a paisagem urbana de São Paulo.

Para fechar a última semana do festival, pontos icônicos da cidade serão palcos de ações da campanha #MinhaMensagem, dentre eles está o Minhocão. No dia 18/09, a Ponte Estaiada recebe o balé aéreo da CIA BASE, e no dia 21/09, declarado o Dia Internacional da Paz pela ONU, ocorre o Amanhã da Paz, meditação global simultânea com a presença de mais de 300 lideranças da cultura de paz.

Durante toda a Virada Sustentável, o Metrô, Espaço aFlora, Rotary SP, Bibliotecas públicas de São Paulo e Sesc São Paulo aderem ao festival com programação especial, destacada abaixo e disponível em: www.viradasustentavel.org.br

PROGRAMAÇÃO NO CCSP

Centro Cultural São Paulo recebe uma intensa programação da 11ª edição da Virada Sustentável. Serão mais de 50 eventos, contando com exposições, mostras de teatro, circo, dança, performances, música instrumental, contações de histórias e atividades de promoção ao bem-estar.

A agenda de atividades conta, ainda, com vasta programação voltada ao público infantil: “Nós acreditamos demais no poder transformador de uma criança. Eles nos perguntam o tempo todo sobre o mundo que estamos deixando para eles, e o que mais precisamos agora é desta ação propositiva provocada pelas crianças e jovens do mundo todo. Por isso, dedicamos uma programação importante voltada para as famílias, para contribuir nesta reflexão sobre o futuro que estamos deixando para eles”, conta André Palhano.

Dentre os destaques da Mostra de Teatro está o “Temperos de Histórias”, apresentado pela Cia. do Liquidificador, que, entre uma história e outra, abordam temas como alimentação saudável e curiosidades sobre alimentos e temperos de todo o mundo.

Outro destaque, este da Mostra de Música Instrumental, é a apresentação de Livia Mattos e Mestrinho. O encontro inédito dos dois sanfoneiros traz o repertório autoral dos dois músicos e também composições instrumentais de grandes referências da música brasileira, como Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Sivuca, Oswaldinho, Egberto Gismonti, Tom Jobim, Chiquinha Gonzaga e Jacob do Bandolim. O encontro, que acontece no dia 12, às 20h30, na sala Adoniran Barbosa, é, ainda, acompanhado pela percussionista Simone Sou e pelo multi-instrumentista Paulim Sartori.

De 03 a 12 de setembro, o Foyer recebe as exposições que integram a Virada Sustentável. A artista Sitah apresenta Silêncios, com sons e imagens da Floresta Amazônica que promovem uma experiência visual imersiva, trazendo a abundância, o conforto e a paz da floresta para dentro da cidade. Tambores químicos reciclados são suporte para a exposição Reciclo Muros Invisíveis que, por meio de fotos 360º, apresenta o universo dos catadores de recicláveis.

FÓRUM VIRADA SUSTENTÁVEL

Pela primeira vez, a programação do Fórum Virada Sustentável foi construída a partir de uma pesquisa com representantes da iniciativa privada e sociedade sobre quais temas e assuntos eles consideram urgentes de serem conservados. A partir daí, estruturamos o Fórum com os temas centrais apresentados: economia circular, negócios de impacto, agenda ESG, mudança climática, Amazônia, desigualdade e diversidade. Em paralelo, várias manifestações e intervenções artísticas ocorrem pela cidade de São Paulo, materializando e dando vida para as atividades online.

Com 26 painéis virtuais, o Fórum Virada Sustentável amplia a possibilidade de participação para pessoas de fora de São Paulo. Todas as atividades contam com tradução em Libras e tradução simultânea nas palestras de convidados internacionais. Para participar, os interessados precisam se inscrever gratuitamente no site da Virada Sustentável: www.viradasustentavel.org.br

A programação do Fórum Virada Sustentável também conta com a participação do economista estadunidense Jeffrey Sachs, que, no dia 13, apresenta a palestra “Mensagens para o Mundo Pós-Pandemia”, às 10h, trazendo a importância do acompanhamento de pautas de desenvolvimento sustentável para a vida política.


PROGRAMAÇÃO DE BEM-ESTAR E AMANHÃ DA PAZ
O economista Jeffrey Sachs traz mensagens para o futuro pós-pandemia no Fórum Virada Sustentável. Crédito: reprodução.

Com curadoria da Virada Zen, a programação de bem-estar da Virada Sustentável acontece entre os dias 11 e 12 de setembro no Jardim Suspenso do Centro Cultural São Paulo, promovendo o desenvolvimento de qualidades, o autoconhecimento e o afeto.

Destaca-se na programação o talk e meditação guiada com o monge Satyanatha, no dia 12, às 15h, que busca proporcionar uma experiência de conexão com o mundo interior. Outro destaque da programação de bem-estar é a Mostra de Música Instrumental| Pulsa e Fala Coração, onde as batidas do coração são representadas através da apresentação de tambores feita por Patricia Aguirre e Alan Dubner. O show acontece no dia 12, às 18h.

Ademais, pela segunda vez na Virada Sustentável, acontece o Amanhã da Paz. No dia 21 de setembro, é celebrado no mundo todo o Dia Internacional da Paz. Mais de 300 lideranças e porta-vozes da cultura de paz se unem em um momento de meditação global que visa o fortalecimento dos ideais de paz, tolerância e compreensão entre todas as nações e povos. A atriz Bruna Lombardi, Márcia de Luca, Fernando Scherer (Xuxa), Roberto Shinyashiki, Ken O’Donnell, Bárbara Borges, Mariana Ferrão e Monja Coen são algumas das presenças confirmadas.

PROGRAMAÇÃO DE PARCEIROS (ADESÕES)

Além da programação própria da Virada Sustentável, o festival é apoiado também por organizações que promovem uma agenda especial voltada à sustentabilidade em adesão à Virada. Entre as organizações que participam do evento estão o Sesc São Paulo, Rotary, bibliotecas públicas de SP, Metrô de São Paulo, Aflora, Instituto Alana e Ipesa.

A coleta de eletroeletrônicos e pilhas em 10 estações do Metrô de São Paulo faz parte das adesões à Virada Sustentável. Durante todo o período do festival, pessoas poderão descartar eletroeletrônicos de pequeno e médio porte nos pontos de coleta.

Outro destaque das adesões é o Rotary, que promove uma programação que inclui plantio de árvores, doação de bicicletas, coleta de óleo usado e a feitura de uma horta comunitária.

As bibliotecas São Paulo e Villa-Lobos também participam da programação da Virada com os clubes de leitura. No dia 17, a Biblioteca São Paulo apresenta “Notas Sobre o Luto”, de Chimamanda Ngozi Adichie e, no dia 24, a Biblioteca Villa-Lobos apresenta “Casa de Alvenaria – Vol. 1: Osasco”, de Carolina Maria de Jesus.

Sesc São Paulo também traz uma agenda intensa de atividades, que vai de conversas e oficinas sobre sustentabilidade nos canais de várias unidades à exibição de curtas e longas-metragens na plataforma Sesc Digital, passando por um conjunto de cards que apresentam, por exemplo, as árvores do Sesc Santana, parte do projeto Florestar – Áreas Verdes Educadoras. Todas as atividades são online e para algumas é necessário fazer inscrição prévia para participar.

Sobre a Virada

A Virada Sustentável é o maior festival de sustentabilidade do Brasil. Envolvendo articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, coletivos de cultura, movimentos sociais, equipamentos culturais, empresas, escolas e universidades. O festival tem como objetivo apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população, gerando reflexão e discussões a fim de promover um futuro sustentável e reforçando as redes de transformação e impacto social existentes.

O evento, que pelo segundo ano apresenta atividades em formato híbrido, acontece por meio de intervenções em diversas áreas da cidade de São Paulo e em plataformas virtuais, com programação completamente gratuita que apresenta instalações, projeções, grafites, performances, teatro, programação de bem-estar, além do Fórum Virada Sustentável.

Ministério do Turismo, o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e Braskem apresentam Virada Sustentável São Paulo 2021. Lei de incentivo à Cultura, patrocínio master da Isa Cteep, patrocínio da Ambev, Gerdau, co patrocínio de Electrolux, Mercado Livre, Novelis, Tetra Pak e apoio das empresas Ball, Deloitte, Instituto Center Norte, Instituto Vedacit e ValGroup. Além da co-realização com a Prefeitura de São Paulo e parceria com Instituto Alana, Metrô SP, Pacto Global, Rotary Club, Sesc, Estadão, Eletromidia e Ótima, realização da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal, Pátria Amada Brasil.