81 anos de Capela do Socorro

Foi em um dia como esta quarta-feira, 9 de outubro, em 1938, que se ouviu falar pela primeira vez em Capela do Socorro como bairro. Sim, aquela capelinha que tinha sido erguida dois anos antes em louvor a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – consta que a padroeira foi doada por um caminhante que tinha a proteção da virgem e foi socorrido por habitantes locais em um momento de necessidade. A Santa acabou dando nome ao bairro. Antes, o local era apenas uma parada de bondes, estendida de Santo Amaro em 1913. Foi em um dia assim, 9 de outubro, que por lei o novo bairro transformou-se em Capela do Socorro. Faz 81 anos.

Era uma região enorme, maior ainda do que hoje. À época, Capela do Socorro estendia-se até Parelheiros e Marsilac – só não tinha a grande população que tem hoje. No início, a área que viria a ser Capela do Socorro era um povoamento surgido no século XVI, lugar de roças, sítios e fazendas. Após a Independência do Brasil, em 1822, intensifica-se a preocupação com o povoamento que se traduz oficialmente na política de imigração. Para a região, afluem os colonos alemães em 1827 e 1828, que aceitam as concessões de terras devolutas localizadas na área até hoje conhecida como Colônia, em Parelheiros.

Loteamentos e lazer

Foi essa aorigem do bairro que, nas primeiras décadas do século XX acelerou o crescimento econômico regional. Foi nessa época que se construíram as barragens da Light, que deram origem às represas de Guarapiranga em 1907, que forma um lago de 35 km, cuja finalidade é regularizar a vazão do rio Tietê, para a geração de energia na usina de Sant’Anna do Parnaíba; e a Billings, construída após a grande seca de 1924, que absorve os rios Jurubatuba e Bororó. Estas duas represas são hoje responsáveis por grande parte do abastecimento de água da Grande São Paulo.

A partir de sua construção abre-se, na região Sul um potencial de lazer insuspeitado, tornando-se vetor de urbanização e estância recreativa bem como abastecedor principal de água e energia para os paulistas. Ao final dos anos 1920 o processo de especulação imobiliária, que provocava a abertura de loteamentos a distâncias cada vez maiores do centro da cidade, atingiu a região de Capela do Socorro.

Por iniciativa privada foi aberta em 1928 a auto-estrada Washington Luiz, que permitia o acesso ao loteamento suburbano de Interlagos, implantado entre 1931 e 1933. Em 1939 a mesma empresa loteadora inaugurou o Autódromo, depois, em 1954 adquirido pela Municipalidade. Também é desse período o loteamento popular de Cidade Dutra, localizado pouco além de Interlagos.

Vocação industrial

Na década de 1940 instalaram-se as primeiras indústrias ao longo do canal Jurubatuba. Na margem esquerda, formaram-se os bairros industriais de Socorro e de Veleiros. O surto de industrialização do pós-guerra acelera-se em São Paulo nos anos 1950 e 1960, quando a cidade entra em nova fase de ocupação e expansão, em consequencia do desenvolvimento da indústria pesada.

Nesse contexto, a disponibilidade de áreas vazias a baixo preço, a facilidade de transportes, melhorada pela construção da Avenida Marginal em 1967, a abundância de água e de energia, na região sul: trazem para ela o afluxo de estabelecimentos industriais, que se fixam em torno do Largo do Socorro.

A partir da década de 1950, especialmente em virtude da instalação intensiva das indústrias, a região se conforma como nova área industrial da cidade, bem como nela se enraizam e se expandem, acentuadamente, os loteamentos populares periféricos. Conjuga aspectos como o de ser área de mananciais, de afluxo populacional, de especulação imobiliária e de expansão industrial,sendo um importante suporte para o desenvolvimento paulistano. A população cresce acompanhando o ritmo da expansão e da concentração industriais, e o consequente aumento da oferta de empregos.

Autonomia

Em 1938 o Decreto Estadual n° 9.280 cria no município e comarca da Capital o distrito de paz de Capela do Socorro. É a primeira vez mencionada oficialmente esta denominação para distingui-la de outro município do Estado de São Paulo denominado Socorro, próximo à Bragança Paulista, porém abrangendo regiões de outras áreas administrativas. Só no dia 9 de outubro de 1985 foi desmembrada de Santo Amaro, tornando-se região administrativa autônoma e com os contornos atuais. pelo Decreto Municipal n° 21.420 . A região administrativa de Capela do Socorro abrange uma área aproximada de 134 km2, cerca de 8% da área total da cidade de São Paulo. Uma imensa região que começa na Ponte do Socorro e vai à divisa com Parelheiros.

Socorro, Cidade Dutra, Grajaú formam a Subprefeitura de maior número de moradores da Capital, cerca de 700 mil pessoas (a maior parte, quase 400 mil habitantes, só no distrito do Grajaú), todas muito orgulhosas pelo seu bairro, que faz aniversário de 81 anos neste 9 de outubro.