AEMB implanta Programa Vizinhança Solidária nas ruas do Brooklin

No mês de maio a Presidente da AEMB – Associação dos Empreendedores e Moradores do Brooklin, Marcia Djanikian, organizou uma reunião com os moradores para tratar do Programa Vizinhança Solidária que está sendo implantado na região e conta com o apoio da Polícia Militar do Estado de São Paulo e tem se sagrado como uma das mais eficientes ferramentas de Polícia Comunitária voltada para a mobilização social em prol do fortalecimento da Cultura de Paz.

“Nós já tínhamos começado esse programa há algum tempo atrás, mas ele ainda estava mais cru, agora, porém, ele se encontra fortalecido, é um programa muito interessante e efetivo, que tem agilidade, que é o que a gente precisa. É importante ligar para o 190 e fazer o BO, mas esse canal de Vizinhança Solidária é um canal direto com a Polícia, por isso mais ágil”, ressalta Marcia.

 De acordo com a Presidente, o apoio da 1°CIA 12BPMM através do Capitão PM Cláudio Augusto Marques Biagio é irrestrito. “Conversamos com o capitão Biagio e como ele atua bastante com este programa, se colocou à nossa disposição. Então, o importante é realmente formarmos um grupo dentro deste quadrilátero porque a AEMB vem atuando cada vez mais e tem realmente uma conversa muito boa com a Polícia Militar. Nós atuamos em uma região bastante vasta e entendemos que não dá para começar tudo de uma vez, mas é importante começarmos”.

 O sucesso do programa é resultante da parceria com a Polícia Militar junto com a comunidade e tem como principal objetivo suscitar na sociedade o que é essencial nas relações humanas, que é a integração entre as pessoas, a preocupação mútua e a sensação de pertencimento, pois ninguém está sozinho e como consequência desta mobilização e modelagem social tem-se a minimização das aflições, melhora da sensação de segurança e redução real e matemática da criminalidade.  “O bandido quando se sente livre e solto atua sem preocupação, então temos que mostrar que estamos cuidando uns dos outros. Teremos uma placa sinalizando o Programa Vizinhança Solidária, e o nosso objetivo é colocar nos comércios, nos prédios, além das residências, porque assim eles irão saber que o bairro está unido e isto irá afugentar a bandidagem”.

A Presidente continuou o bate-papo com os moradores que relataram os problemas encontrados próximos de suas residências e comércios e como poderiam atuar em conjunto. Lembrou ainda do projeto das câmeras de segurança implantado pela AEMB nas ruas do Brooklin e ressaltou que a Associação contratou uma nova empresa para fazer a manutenção das câmeras e que implantará novas por conta própria e também com o apoio da Prefeitura Regional de Santo Amaro. “Em breve a Associação irá disponibilizar aos associados uma senha para acesso às câmeras e isso irá proporcionar uma segurança ainda maior porque a pessoa poderá acessar as câmeras antes de chegar em casa para saber ser está tudo bem”.

A AEMB elegeu o morador Ricardo Monteiro para ser o Tutor do programa. Ele estará encarregado de fazer a ponte direta com o Capitão Biagio da Polícia Militar. Ricardo será o líder comunitário na Vizinhança Solidária, que será instruído pela PM acerca de prevenção primária entre outras ações. Além disso, participará das reuniões do CONSEG. O programa conta ainda com a “Visita Comunitária” que acontece periodicamente pela PM do Programa Vigilância Comunitária e integrantes da comunidade com o objetivo de estreitar relações e permitir que a Instituição conheça os reais problemas de segurança pública para providências e soluções. Tem ainda a Visita Solidária que é o contato de PM com a vítima de ocorrência policial para orientá-la acerca das medidas de prevenção primária que poderão ser adotadas a partir de então.

“Hoje sentimos que estamos com todo apoio que precisamos, então por que não fazer? Mas depende de esforço, persistência e colaboração. Temos que nos mobilizar para entrar em contato com os vizinhos e fazer com que esta notícia se espalhe, que as pessoas saibam que está acontecendo isso e que elas comecem a se importar”, reforça Marcia.

 Durante a reunião, a Presidente falou ainda sobre o projeto de reciclagem e da implantação dos containers para coleta de lixo. “Não aceleramos o projeto dos containers por conta da MaiFest, já que seria muito difícil decidirmos aonde colocá-los antes do festival porque vão ter vários containers nas ruas e nós é que vamos determinar aonde eles ficarão. Nós estivemos com o Presidente da AMLURB e ele nos falou que dará todo apoio a este projeto e elogiou a nossa iniciativa”, finaliza.