Alckmin entrega primeira torre residencial do Complexo Júlio Prestes e praça revitalizada

Menos de um ano após o início da construção, o Governo do Estado de São Paulo e a Secretaria de Estado da Habitação entregaram, nesta quinta-feira, 29, as obras da primeira torre residencial do Complexo Júlio Prestes – Edifício 1 “Duque de Caxias” –, além da Praça Júlio Prestes revitalizada. Até o fim de 2018, a PPP do Centro entregará 914 unidades habitacionais do Complexo Júlio Prestes. As entregas fazem parte da Parceria Público-Privada da Habitação, a primeira PPP de Habitação de Interesse Social (HIS) do país. O governador Geraldo Alckmin e o secretário de Estado da Habitação, Nelson Baeta, participaram da cerimônia. “Para participar dos sorteios para estas unidades, pelo menos uma pessoa da família precisava trabalhar no Centro. Com isso, melhoramos a questão da mobilidade e da qualidade de vida, além de revitalizar a região, porque o projeto inclui creche, escola de música e comércio”, declarou o governador.

A primeira torre residencial, denominada Edifício 1 “Duque de Caxias”, conta com 170 apartamentos distribuídos em 17 andares e quatro elevadores. Os apartamentos têm entre um e dois dormitórios, com área útil média entre 41 m² e 51 m². Nos próximos 30 dias, a concessionária entrará em contato com os moradores para agendar a mudança. A nova Praça Júlio Prestes tem uma área de eventos com capacidade para até 5 mil espectadores, espaços para uso recreativo e uso infantil, incluindo um playground, além de nova pavimentação, iluminação e mobiliário urbano. Tudo isso realizado com o cuidado necessário à preservação das espécies vegetais e com o plantio de 19 novas árvores.

Complexo Júlio Prestes

As unidades das demais torres serão entregues em fases, até agosto. No total, o Complexo compreende oito torres residenciais, com 1.130 moradias de interesse social e outras 72 unidades do mercado popular. O Complexo Júlio Prestes engloba duas quadras vizinhas à Praça, em frente à estação de trem da CPTM e à sala São Paulo. São cinco torres residenciais na chamada quadra 49, local da antiga rodoviária do Estado, com a criação de um boulevard – em continuação à rua Santa Ifigênia – dedicado ao comércio e aos serviços, uma praça e a nova sede da Escola de Música Tom Jobim. E outras três torres residenciais na quadra 50, entre a Rua Cleveland e a Alameda Dino Bueno, onde também será erguida uma nova creche.

No total, a PPP do Centro prevê a construção de 3.683 moradias, sendo 2.260 habitações de interesse social (HIS) e outras 1.423 Habitações de Mercado Popular (HMP). A PPP do Centro já entregou 217 apartamentos. Foram 126 moradias do conjunto da Rua São Caetano, em dezembro de 2016, outras 91 na Alameda Glete, em janeiro deste ano, e, hoje, 170 unidades da primeira torre residencial do Complexo Júlio Prestes, bem como a Praça Júlio Prestes revitalizada. A PPP da Habitação vem realizando uma verdadeira mudança urbanística nas áreas de intervenção, com a recuperação de espaços públicos, a criação de áreas comerciais e de serviços, além da restauração ou criação de novas edificações para equipamentos públicos, como no caso da base do Corpo de Bombeiros, da nova sede da Escola de Música Tom Jobim, partes do Complexo Júlio Prestes. A iniciativa visa colaborar com a requalificação da região central, aproximar a moradia do emprego e dos eixos de transporte de massa e, com isso, reduzir o tempo de deslocamento dos trabalhadores. São R$ 1,4 bilhão de investimento global, sendo R$ 465 milhões de contrapartida do Governo do Estado em prestações pagas ao longo de 20 anos. No Estado de São Paulo, foram 157 mil Habitações de Interesse Social (HIS) entregues e mais 41 mil estão com obras em andamento. Novas moradias que representam R$ 7,3 bilhões de investimentos dos dois braços operacionais da pasta – CDHU e Agência Casa Paulista.