Banco de Alimentos da Prefeitura de SP quebra recorde e doa 779 toneladas no primeiro semestre

O primeiro semestre de 2020 foi marcado pelo isolamento social e medidas de proteção individual, como o uso de máscaras e álcool gel, ações que combatem a disseminação do corona vírus. No entanto, o período também será lembrado por um sentimento mútuo de solidariedade entre empresas, indústrias e redes de supermercados, empenhados na missão de ajudar quem tanto precisa neste momento. O Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo fechou o primeiro semestre com um número recorde: 779 toneladas doadas para centenas de entidades assistenciais cadastradas pelo programa, coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. O número é 130% superior a toda a doação feita no ano de 2019, em que o Banco atingiu 338 toneladas.

“O senso de empatia e solidariedade por parte das empresas e indústrias que nos ajudam com o Banco de Alimentos são fundamentais para fazermos a diferença na alimentação de milhares de pessoas. Com isso, o programa consegue atingir todas as regiões da cidade, em especial, aquelas mais afetadas pela pandemia do coronavírus”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Ao todo, foram doadas em abril 17,3 mil cestas básicas e 472 toneladas em alimentos diversos, que foram destinadas às entidades assistenciais cadastradas no Banco de Alimentos, que distribuem os produtos ou preparam as refeições para a população mais vulnerável da cidade de São Paulo, cerca de 125 mil pessoas foram impactadas com o programa. Um dos principais doadores do Banco de Alimentos foi a Secretaria Municipal de Educação que, com a paralização das aulas da rede pública de ensino, encaminhou 235,4 toneladas de insumos que seriam utilizados para a produção das merendas escolares.

Também vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, o Programa Municipal de Combate ao Desperdício arrecadou 85 toneladas nas feiras lvires, mercados e sacolões municipais doadores, coletando frutas, legumes e verduras que estão em boas condições de consumo. Na rede privada, o Grupo Carrefour somou forças com a rede de solidariedade e disponibilizou 63 toneladas de alimentos avulsos, incluindo arroz; feijão; pacotes de macarrão; óleos de cozinha; entre outros. A rede Atacadão também não ficou de fora e contribuiu com 59 toneladas de produtos avulsos.

Cestas básicas

Na doação de cestas básicas, os principais colaboradores foram o Grupo Farmacêutico Roche, que ofertou 15 mil unidades; o Grupo Carrefour, que além de insumos avulsos doou 2,4 mil cestas; o grupo União São Paulo, com 3 mil unidades e a instituição RenovaBR, com 2 mil itens. Todas as cestas já foram encaminhadas para as entidades assistenciais cadastradas no Programa Banco de Alimentos, estas sendo responsáveis pela distribuição para a população. “A logística do Banco de Alimentos em sua maior parte era composta de insumos avulsos e FLV – frutas, legumes e verduras, que eram avaliados e separados pela equipe de nutricionistas do programa. Com a mobilização do setor privado em decorrência da pandemia, o programa começou a doar também cestas básicas e kits de alimentos, o que de certo modo facilita ainda mais a entrega das doações”, destaca a coordenadora de Segurança Alimentar e Nutricional, Celia Alas. As cestas básicas são compostas de itens essenciais para a cozinha familiar, como arroz; feijão; óleo de cozinha; sal; açúcar; café; biscoitos e macarrão. Cada unidade, em média, possui 15kg de insumos, atendendo famílias de 3 a 5 integrantes.

Saiba como doar

Qualquer pessoa, física ou jurídica, empresa ou órgão público pode se tornar um doador. O Banco de Alimentos está localizado na Rua Sobral Júnior, 264 – Vila Maria / zona norte, disponível de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

Saiba mais no link: www.prefeitura.sp.gov.br/bancodealimentos