Campanha de vacinação contra sarampo começa na segunda (10) para pessoas de 15 a 29 anos

  As Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de São Paulo iniciam nesta segunda-feira (10) uma Campanha local de Vacinação contra o Sarampo. O público-alvo da ação é especificamente formado por pessoas com idade entre 15 e 29 anos. A faixa-etária que concentra o maior contingente de pessoas que pode ter deixado de tomar as duas doses da vacina, como prevê o calendário nacional de vacinação.

 As pessoas dessa faixa etária que já tiverem tomado as duas doses não precisam de reforço. Àqueles que não tomaram ou têm dúvidas devem comparecer às UBS com a caderneta de vacinação.  É preciso levar um sempre documento de identificação e se possível o cartão SUS. A expectativa da secretaria é vacinar 2,9 milhões de pessoas até o dia 12 de julho, data prevista para o término da campanha.

 “A vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola, é eficaz em 97% dos casos e é a única forma de prevenir o contágio com o sarampo, que é uma doença infecciosa de elevado potencial de disseminação”, afirma a coordenadora do Programa Municipal de Imunizações, Maria Lígia Nerger. No ano passado, o município de São Paulo realizou a campanha de vacinação voltada para a população entre 1 e 4 anos idade e atingiu 95,6% de cobertura, acima do percentual estabelecido pelo Ministério da Saúde.

A tríplice viral é fornecida ao município pelo Programa Nacional de Imunizações, por meio da Secretaria de Estado da Saúde e está disponível durante todo o ano na rede municipal de saúde. A vacina deve ser aplicada em duas doses a partir de um ano de vida da criança até 29 anos de idade. Pessoas de 30 a 59 anos (nascidos a partir de 1960) devem receber uma dose. A vacina é contraindicada para mulheres grávidas e indivíduos imunossuprimidos.

 Casos confirmados

 Em 2019, a capital paulista confirmou 14 casos de sarampo no município, sendo oito importados (pessoas que viajaram ou tiveram contato com quem viajou) e seis em investigação quanto ao local provável de infecção. Até a confirmação destes casos, não havia registro da doença na cidade de São Paulo desde 2015. Não há casos de óbitos registrados na cidade.

Em todos os casos suspeitos de sarampo identificados, a vigilância epidemiológica desencadeia ações de bloqueio vacinal para interromper a transmissão da doença. As ações são realizadas em todos os locais frequentados pelo caso suspeito, tais como: residência, escola, unidade de saúde, meio de transporte utilizado em viagens no período de transmissão da doença, dentre outros. Desta forma um único caso suspeito pode desencadear múltiplos bloqueios em diferentes regiões da cidade, eventualmente até em outros municípios ou estados.

 Copa América

 A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou ações de vacinação entre os profissionais que vão atuar na Copa América de Futebol, que começa na próxima semana.

 No estádio do Morumbi, que recebe o primeiro jogo da seleção brasileira na próxima sexta-feira (14), 275 funcionários da Conmebol foram vacinados pela Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) Oeste no dia 21 de maio, sendo 225 doses de influenza, 33 de febre amarela e 17 de SCR (sarampo, caxumba e rubéola). Outros 127 funcionários do São Paulo que trabalharão no evento também foram imunizados.

 Outro estádio que receberá jogos deste campeonato é a Arena Corinthians. Agentes de saúde da CRS Leste foram ao local e disponibilizaram vacinas aos  funcionários da Comembol e do Corinthians. Foram 550 doses contra Influenza, 503 SCR e 117 de Febre Amarela.