Cinco novas estações e 6,5 km do monotrilho serão entregues em março

O governador Geraldo Alckmin participou nesta terça-feira, 20, da primeira viagem de trem para vistoria no novo trecho da Linha 15-Prata do Metrô. Foram inspecionados 5,5 km de vias do monotrilho entre as estações Oratório e Vila União. De acordo com o cronograma de obras, cinco novas estações – São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União e Jardim Planalto – e mais 6,5 km de via elevada serão entregues à população em visita assistida neste mês de março. Já para o final de maio, está prevista a entrega das estações Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus e mais 3,6 km de vias.

“O monotrilho está praticamente pronto. Estamos fazendo os testes finais da via e as estações estão em fase de acabamento. A gente já vê a mudança no entorno – novas lojas surgindo, novos investimentos imobiliários. Vai mudar toda essa região, com transporte de alta capacidade e qualidade”, disse o governador.

A Linha 15, implantada em um projeto moderno e arrojado, é o primeiro monotrilho de alta capacidade de transporte do Brasil e vai conectar as regiões leste e sudeste a toda a rede de trilhos de São Paulo. Em operação desde 2014, entre Vila Prudente e Oratório, o ramal permite integração gratuita com a Linha 2-Verde e proporciona o acesso a uma rede de 339 km de trilhos, em 22 municípios, cobrando uma única tarifa. Quando pronto, o trecho de Oratório a São Mateus atenderá a 400 mil pessoas por dia.

O monotrilho possui características diferentes do metrô convencional. Suas estações são elevadas (em média, a 15 metros do solo) e com arquitetura leve que se integra à paisagem do local. Os trens são operados de modo totalmente automático e trafegam sobre vigas de concreto elevadas. Cada composição possui sete carros e capacidade para transportar mil passageiros por viagem.

As estações da Linha 15-Prata apresentam soluções estéticas em concreto aparente e aço com grandes vedações em vidro, garantindo aos espaços públicos plena ventilação e iluminação natural. As plataformas são centrais, com 90m de comprimento e 9,90m de largura para acomodar as duas vias operacionais, possuem cobertura com estrutura metálica em arco, passarelas de emergência nas extremidades, sistema de portas automáticas para embarque/desembarque em toda sua extensão, escadas rolantes, escadas fixas, elevadores e bicicletários. Os acessos das estações situam-se em ambos os lados da avenida Prof. Luiz Ignácio Anhaia Mello. Todas as estações adotam conceitos de reurbanização e de paisagismo que integram a paisagem do entorno aos elementos arquitetônicos, possibilitando a melhoria da qualidade dos espaços públicos através da integração com outros modais – andar a pé, ciclovia e ônibus -, gerando conforto ambiental e beleza, de forma a garantir áreas de convívio “estar” e áreas verdes entre os acessos das estações e o sistema viário adjacente.

Novos trens para a Linha 11-Coral da CPTM

O governador também anunciou que a CPTM recebe hoje mais dois trens novos do lote de 65, completando 34 unidades em operação. A partir das 10h, duas composições, da série 8.500, da CAF Brasil, começaram a operar no serviço Expresso Leste (Luz-Guaianases) da Linha 11-Coral.

Com mais essa entrega, a CPTM dá continuidade ao processo de padronização da frota de todas as linhas, readequando as séries de trens de acordo com a necessidade operacional. O objetivo é oferecer trens modernos e com ar condicionado, proporcionando mais conforto aos usuários. A previsão é que as 31 unidades restantes entrem em operação até o final de 2018.

Com cerca de 700 mil passageiros transportados/dia útil, a Linha 11-Coral é a mais movimentada da CPTM. O trecho mais carregado é entre as estações da Luz e Guaianases, onde opera o Expresso Leste, transportando em média 500 mil usuários/dia útil. O trecho tem 24,2 km e conta agora com 15 novos trens. A extensão de Guaianases a Estudantes é de 26,6 km e são transportados cerca de 200 mil passageiros transportados/dia útil.

Com salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), os trens possuem monitoramento com câmeras na parte externa e interna e são acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência (contam com sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, mapa dinâmico e áudio, além de espaço para cadeirantes). Também dispõem de monitores digitais internos com informações e interação das principais notícias sobre a prestação de serviços, além de reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria.

Os demais trens serão entregues ao longo dos próximos meses e entrarão em operação após a realização de testes, que são feitos nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização. Dependendo das necessidades de ajustes que surgirem e do tempo de solução por parte do fabricante, os testes podem ser prolongados. As novas composições serão incorporadas para a renovação da frota de acordo com a necessidade operacional de cada linha.