CUT faz acordo com Justiça e terá 1º de Maio com ato na Paulista e shows na Praça da República

Central Única dos Trabalhadores (CUT) entrou em acordo com o Tribunal da Justiça de São Paulo neste domingo (30) e vai fazer as atividades de comemoração de 1º de maio nesta segunda-feira (1º) com um ato na Avenida Paulista seguido de uma caminhada até a Praça da República, onde será realizado os shows em homenagem ao Dia do Trabalho.

Segundo a decisão, um caminhão de som deverá ficar próximo à Rua da Consolação para a caminhada até a República e não poderá ser usado para shows. A decisão foi comunicada à Prefeitura.

Em nota, a Prefeitura de São Paulo comunicou que “foi informada pelo Tribunal de Justiça de que a Central Única dos Trabalhadores teve hoje reconfirmada a notificação da decisão judicial que transferiu seu evento de comemoração do 1º de Maio para a Praça da República. A Prefeitura de São Paulo reafirma sua disposição de colaborar com a Central na realização de seu evento na Praça da República”.

Impasse

Inicialmente, a CUT queria fazer os shows em frente ao Masp, na Avenida Paulista, mas a Prefeitura acionou a Justiça alegando que um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado durante a gestão de Fernando Haddad (PT) estabeleceu um limite de eventos culturais na Paulista.

“A Prefeitura de São Paulo esclarece que na Avenida Paulista não será permitida a atividade pretendida pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), tal qual está sendo anunciada pela central para o dia 1º de Maio, pois esta fere entendimento firmado com o Ministério Público, pelo qual são permitidos apenas três eventos (Parada do Orgulho LGBT, Corrida de São Silvestre e a festa de Réveillon). A Prefeitura se dispõe a ceder outro local para a realização dos shows anunciados pela CUT, como, por exemplo, o Vale do Anhangabaú, onde foram realizados os eventos de 1º de Maio da central sindical nos últimos anos”, diz o texto.

À noite, enviou uma nova nota, dizendo ter consultado a Justiça para esclarecer se o TAC celebrado com o Ministério Público se aplicava ao evento de 1º de Maio convocado pela CUT para a Avenida Paulista. “A Prefeitura espera que a Central cumpra a decisão judicial. E se dispõe a colaborar para realizar o evento em outro local, como o Vale do Anhangabaú, onde ocorreu a comemoração em outros anos anteriores”.

A CUT optou por fazer o evento na Praça da República na tarde deste domingo. As atrações musicais já confirmadas são Emicida, Mc Guimê, Leci Brandão, As Bahias e a Cozinha Mineira, Ilu Obá de Min, Bixiga 70, Mistura Popular, Marquinhos Jaca e Sinhá Flor.

Mais cedo, durante coletiva de imprensa, o prefeito João Doria disse que a CUT não havia pedido autorização para o evento na Paulista. “A CUT não fez a formalização formal, apenas anunciou que faria na Avenida Paulista e nós dissemos que na Paulista não pode. Não pode não é porque nós não queremos, mas porque há um Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público e com o Tribunal de Justiça que impede a realização de mais eventos na Avenida Paulista. Nós pedimos ao nosso secretário de governo Júlio Semeghini que pudesse escolher outro local, que não esse”

“Eu espero que a CUT tenha bom senso, tenha juízo, tenha equilíbrio e mostre que respeita as leis”, disse Doria.