DaVita Tratamento Renal inaugura unidade em São Paulo

A DaVita Tratamento Renal, uma empresa do grupo DaVita Inc. (NYSE: DVA), inaugura clínica na Zona Sul de São Paulo. Com 70 pontos e capacidade para realizar até 5.500 atendimentos mensais, a Unidade Interlagos é destinada a pacientes particulares e também do Sistema Único de Saúde (SUS). Esta é a primeira clínica totalmente arquitetada pela companhia e ocupa uma área construída de 1.450 metros quadrados em um terreno de 2.100 metros quadrados, o que representa o dobro da capacidade atual da clínica Jardim das Imbuias, que será substituída pela nova unidade. A clínica de Interlagos já chega com o conceito de serviços DaVita: expertise da equipe de saúde, ambientação acolhedora para os pacientes e tecnologia de ponta nas máquinas de diálise.

 “O padrão dessa unidade segue o conceito global da DaVita Kidney Care e servirá como modelo para os próximos projetos a serem erguidos pela companhia no Brasil. A nova unidade terá impacto relevante na saúde renal da cidade de São Paulo e, assim, esperamos atender a demanda de pacientes em filas de espera. Estamos proporcionando ainda mais conforto e trazendo equipamentos de última geração para garantir excelência médica e em atendimento”, afirma Bruno Haddad, presidente da DaVita Tratamento Renal.

 Além do tratamento de hemodiálise, a nova clínica também vai oferecer o tratamento de diálise peritoneal.  Os pacientes com doença renal em estágio avançado precisam de diálise contínua ou de um transplante de rim para sobreviver. De acordo com o estágio da doença, há duas opções de tratamento: a hemodiálise e a diálise peritoneal. No primeiro procedimento, o sangue é bombeado por meio de uma máquina e um dialisador, para remover as toxinas do organismo. O sangue é limpo na máquina e devolvido ao corpo. Todo processo dura cerca de quatro horas e, em média, o paciente realiza o tratamento três vezes por semana.

 Já na diálise peritoneal, é colocado um cateter flexível no abdômen do paciente – por onde é feita a infusão de um líquido semelhante ao soro fisiológico, chamado de banho de diálise. Por meio da cavidade abdominal, o componente entra em contato com o peritônio (membrana porosa e semipermeável que reveste os principais órgãos abdominais), permanece por algumas horas na cavidade peritoneal, para que haja a troca entre a solução e o sangue, e então é drenado, juntamente com as toxinas que estavam acumuladas no sangue. O diferencial é que o aparelho que faz esse processo, chamado de cicladora, fica na casa do paciente, que pode realizar o procedimento diariamente, enquanto dorme.

 Outra curiosidade que poucos têm conhecimento é em relação à quantidade de solução de diálise que o paciente tem contato por sessão realizada: de 120 a 200 litros. As substâncias presentes na água que tentam passar pela membrana do dialisador podem ter acesso direto à corrente sanguínea do paciente. Por isso, o sistema de purificação de água utilizada na hemodiálise passa por um rígido controle de qualidade. Na Unidade Interlagos, assim como das demais unidades da marca DaVita, a água potável é armazenada em reservatórios próprios e, em seguida, passa pelo pré-tratamento por meio de três grandes filtros antes de ser utilizada no procedimento de diálise.

 “A água é um dos principais componentes que fazem parte do processo de filtração do sangue dos pacientes com insuficiência renal crônica e tratamento dialítico. Na doença renal crônica (DRC), o rim do paciente já não consegue fazer mais o trabalho de limpeza e filtração do sangue, então a máquina realiza este papel de retirar as impurezas do organismo, como excesso de ureia, sódio, potássio e o líquido acumulado”, explica Dr. Maurilo Leite, diretor Médico da DaVita Tratamento Renal.

 Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), a cada ano, aproximadamente 21 mil brasileiros precisam iniciar tratamento por hemodiálise ou diálise peritoneal. No Brasil, o número de pacientes com doença renal que passaram por diálise cresceu de 42 mil, em 2000, para 122 mil em 2017. A estimativa é que a enfermidade afete um em cada cinco homens e uma em cada quatro mulheres com idade entre 65 e 74 anos, sendo que metade da população com 75 anos ou mais sofre algum grau da doença. O Sistema Único de Saúde (SUS) foi responsável por 83% das diálises realizadas em 2017.

 “Estamos avançando cada vez mais na modernização das novas clínicas adquiridas para agregar valor ao tratamento que oferecemos. Acima de tudo e diante desse cenário da doença no país, buscamos proporcionar acessibilidade aos brasileiros por meio da excelência médica e atendimento humanizado no tratamento de insuficiência renal crônica, em um ambiente totalmente acolhedor. Queremos que nossos pacientes desfrutem de uma vida com muito mais qualidade e vigor”, finaliza Haddad.

 Além da Unidade Interlagos, a DaVita Tratamento Renal conta ainda com outros nove pontos de atendimento no Estado de São Paulo: em Santos, Araraquara, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Itapecerica da Serra (região metropolitana) e na capital (João Dias, Penha, Perdizes e Santana).

SERVIÇO

Unidade Interlagos – DaVita Tratamento Renal

Endereço: Avenida Atlântica, 5071 – Interlagos – São Paulo/SP