Governo paulista oferece ajuda a vítimas do terremoto no México

Durante o encontro com o embaixador do México no Brasil, Salvador Arriola, nesta quarta-feira, 27, no Palácio dos Bandeirantes, o governador Geraldo Alckmin anunciou ajuda humanitária para as vítimas dos terremotos que atingiram o México nas últimas semanas. O governo paulista vai encaminhar, por meio do Ministério das Relações Exteriores do Governo Federal, 700 cestas básicas, 500 colchões, 100 kits dormitório (lençol, fronha, coberta), 500 cobertores, 5 mil peças de roupa, 100 kits de higiene pessoal e 70 de limpeza.

“Minha solidariedade às vítimas do terrível terremoto na semana passada. Por meio do Itamaraty, vamos enviar ajuda humanitária a este nosso país-irmão”, comentou o governador, destacando a atitude das pessoas. “Quero enaltecer o grande gesto de solidariedade, o exemplo da população mexicana”, disse.

O Governo do Estado também está negociando a viabilidade de encaminhar 18 kits da Padaria Artesanal do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo (Fussesp). Cada kit é composto por uma mesa de aço inoxidável, estante para assadeiras, forno a gás, liquidificador industrial e quatro formas. Além, também, de oferecer o curso da Padaria Artesanal para que seja replicado no México e o kit, melhor aproveitado.

O governo paulista também ofereceu ajuda para as vítimas do terremoto do Haiti e para os atingidos pelo tsunami no Japão, em 2010 e 2011, respectivamente.

Terremotos

O México foi atingido por três terremotos nos dia 7, 19 e 23 de setembro, com magnitude que variou de 6,2 a 8,1. O abalo do dia 7 ocorreu no Estado de Oaxaca e deixou 98 mortos. O tremor atingiu a costa sul, mas foi sentido em quase todo o país, além de alguns países da América Central.

De acordo com o presidente mexicano Enrique Peña Nieto, o terremoto afetou 2,3 milhões de pessoas e mais de 50 mil casas foram danificadas.

No dia 19, outro abalo sísmico de magnitude 7,1, localizado entre os Estados mexicanos de Puebla e Morelos, a 120 km da Cidade do México, deixou 293 pessoas mortas. O abalo ocorreu exatamente 32 anos depois do grande terremoto mexicano de 19 de setembro de 1985, que matou pelo menos dez mil pessoas. Quatro dias depois, mais um terremoto foi registrado pela manhã no Estado de Oaxaca e também foi sentido na Cidade do México.