Mais de 5,2 milhões de moradores de São Paulo ainda não foram vacinados contra febre amarela

Mais de 5,2 milhões de pessoas ainda não procuraram os postos de saúde do município de São Paulo para se proteger contra a febre amarela. A meta da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é imunizar 95% da população, mas até quarta-feira (25/4) apenas 55,4% dos moradores da cidade haviam tomado a vacina. A campanha, que começou em setembro do ano passado, tem prazo de encerramento previsto para 30 de maio. “A vacina contra a febre amarela é segura e a principal ferramenta para evitar o aumento dos casos silvestres da doença”, destaca Wilson Pollara, secretário municipal da Saúde de São Paulo.

 A campanha de vacinação começou no distrito Anhanguera, na região Norte, e foi expandida para outros distritos da região após a confirmação da morte de um macaco por febre amarela no Horto Florestal. A zona Norte tem a melhor cobertura do município, com 85,9% dos moradores vacinados.  A ação preventiva foi expandida nos meses seguintes para outras regiões da capital, levando-se em consideração a proximidade com áreas de risco de contato com o vírus da febre amarela, como os chamados corredores ecológicos.

Em dezembro, a ação preventiva foi estendida para distritos das zonas Sul e Oeste. Até quarta-feira, a cobertura vacinal dessas regiões era de 67% e 54,2%, respectivamente. As regiões Leste e Sudeste foram adicionadas à campanha no começo deste ano. A primeira vacinou 39,7% de seus moradores e a segunda, 38,8%. No Centro, última a ser incluída na campanha, a cobertura atual é de 18,7%. Desde março a vacina está disponível em todas as unidades de saúde do município. Para se vacinar é preciso levar documento de identificação e, se possível, carteira de vacinação e cartão SUS. As listas das unidades que estarão abertas no sábado e no feriado podem ser acessadas pelo link: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/doencas_e_agravos/index.php?p=248543

Além dos plantões aos sábados e da ampliação da campanha para todas as regiões da capital, a SMS adotou outras estratégias para aumentar a cobertura vacinal nos últimos meses, como ação casa a casa e postos volantes em locais como shoppings, parques e supermercados. A última ação ocorreu na semana passada, quando agentes de saúde aplicaram a vacina em estações de Metrô, CPTM e no Poupatempo de Itaquera.