Mão na taça! Corinthians faz 3 a 0 na Ponte em Campinas e fica muito perto do título paulista.

RESUMÃO

  • O JOGODiego Ribeiro e Marcelo Braga, de Campinas
    O Corinthians tem a taça quase inteira em mãos, em vias de ser beijada – como só os campeões podem fazer. Na tarde deste domingo, o Timão venceu a Ponte Preta por 3 a 0 em Campinas no primeiro jogo da decisão do Paulista e praticamente assegurou o título – quatro décadas depois da final lendária de 1977. Rodriguinho acabou com o jogo: fez dois gols e deu o passe para o outro, de Jadson. O sistema defensivo, à beira da perfeição, anulou a Ponte e deu segurança à grande atuação da equipe da Fábio Carille.

     
  • DESTAQUEE AGORA?Há um jogo de volta a ser disputado. E a Ponte tem todo o direito de manter alguma esperança. Mas ela precisa de uma epopeia para ser campeã: golear o Timão na arena Corinthians no próximo domingo por ao menos quatro gols de diferença. Vitória da Macaca por três gols levará a decisão aos pênaltis. Qualquer outra situação dá o título ao Timão.

     

     

  • DESTAQUEPRIMEIRO TEMPOAo contrário do que havia feito em casa contra Santos e Palmeiras, a Ponte foi coadjuvante do primeiro ao último minuto. Em ótima atuação, na medida exata entre a frieza necessária para encarar a pressão no campo do rival e a pegada que uma decisão exige, o Timão ditou o ritmo exatamente como queria.

     

    Jô não fez gols, mas foi essencial. No primeiro gol, ganhou pelo alto e depois deu um lindo passe para Rodriguinho fazer 1×0. O meia estava dentro da área para finalizar, posicionamento que repetiu mais duas vezes no primeiro tempo, numa cabeçada defendida por Aranha e num chute por cima. Mérito tático.

  • DESTAQUESEGUNDO TEMPOA Ponte voltou com jogadores diferentes no segundo tempo – Renato Cajá e Artur –, mas o jogo foi igual. Tentativas descoordenadas contra controle de jogo. Se marcado Rodriguinho já estava impossível, livre então… Ele recebeu na esquerda, passou por Fernando Bob e Yago e abriu para Jadson, que bateu de primeira, no cantinho: 2×0.

     

    Aos berros, Gilson Kleina tentava motivar seu time. Fábio Carille estava mais preocupado em preservar seus protagonistas. Tirou o pendurado Jadson, mas deixou Rodriguinho em campo para aproveitar um vacilo inacreditável da defesa da Ponte Preta. Fagner cobrou lateral na área, a bola pingou, ninguém afastou, e o meia cabeceou: 3×0.