Obras de restauro do Auditório Simón Bolívar estão na reta final

O governador Geraldo Alckmin vistoriou neste sábado, 23, as obras de reforma estrutural e de restauro do Auditório Simón Bolívar, que tiveram início em dezembro de 2016 e já estão na fase final. A primeira etapa foi finalizada com 60 dias de antecedência. A 82 dias da reinauguração, faltam menos de 10% para a conclusão – basicamente, a colocação das poltronas, tapeçaria e detalhes de acabamento das demais obras civis, como segurança e mobilidade.

“Nós estamos dentro do cronograma, com 93% daobra de restauro e modernização do auditório concluída.Entregaremos o novo espaço no dia 15 de dezembro, celebrando 110 anos de aniversário de Oscar Niemeyer. O auditório será multiuso e contará com um sistema acústico semelhante ao da Sala São Paulo, podendo receber aqui grandes orquestras. A acessibilidade será total, com dois elevadores, local para cadeirante, cão-guia, AVCB, fiose tapeçaria antiinflamáveis. Ésegurança, modernidade e acessibilidade em um auditório multiuso, servindo à cultura e às artes no Estado de São Paulo”, explicou Alckmin.

As mais de 1.700 novas poltronas foram adquiridas a partir da captação de recursos via Lei Rouanet pelas empresas CESP (Companhia Energética de São Paulo), PRODESP (Companhia Processamento de Dados do Estado de São Paulo), SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), CPPP (Centro de Parcerias Público Privadas) e Imprensa Oficial.

A nova tapeçaria que já está no auditório foi reproduzida pelos arquitetos contratados pela Fundação Memorial da América Latina a partir do desenho original da artista plástica Tomie Ohtake. O minucioso trabalho manual, que já está concluído, foi feito pelos artesãos da empresa Punto e Filo, que doou a obra à Fundação. O painel de 840 m² será instalado até o fim de outubro.

Somente em 2016, o Memorial recebeu 2,2 milhões de visitantes. Além do auditório Simón Bolívar, a Fundação abriga outros espaços, recebendo diversas atividades como shows, eventos esportivos, feiras e exposições, como a mais recente e ainda em cartaz, “Rá-Tim-Bum, o Castelo” com quase 600 mil visitantes desde março de 2017, um recorde de público em exposições pagas no país.

“No dia 15/12, teremos uma grande cerimônia que vai marcar a devolução do auditório ao público e atender todas as esferas culturais”, adianta Felipe Pinheiro, Diretor do Memorial.

 “Podemos assegurar que os paulistanos e todos que aqui vierem receberão o novo Auditório Simón Bolívar projetado por Oscar Niemeyer, mais moderno e equipado com todos os recursos de conforto e segurança”, afirma o presidente da Fundação, Irineu Ferraz. E completa: “Numa ação futura e dentro desta programação, o objetivo é contemplar balés, orquestras, óperas, teatros, exibição de filmes de cinema, shows e grandes musicais. O objetivo é investir em diversas categorias de artes latino-americanas porque o auditório Simón Bolívar será um espaço multiuso”.

Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a Fundação Memorial da América Latina, inaugurada em 1989, é um espaço com mais de 84 mil m² dedicado a manifestações artísticas e científicas ligadas à identidade latino-americana.

Exposição “Rá-Tim-Bum, o Castelo” – O Memorial da América Latina anuncia para até 4 de fevereiro de 2018 a prorrogação da megaexposição “Rá-Tim-Bum – O Castelo”. “Mesmo já tendo sido ampliada para 30 de setembro, notamos diariamente o sucesso da exposição e a demanda de interessados cresceu muito. Foi por esse motivo que decidimos estender a atração por mais quatro meses”, explica o presidente Irineu Ferraz. A exposição já foi vista por mais de 570 mil visitantes é já é considerada a exposição mais vista no país em 2017.

Fundação Memorial da América Latina