Prefeito assina decreto que cria o Observatório da Gastronomia

prefeito Bruno Covas assinou nesta segunda-feira (10) o decreto que formaliza a criação do Observatório da Gastronomia, colegiado de articulação direcionado ao fortalecimento da cadeia da alimentação na capital paulista.

“A gastronomia é a vocação da cidade de São Paulo. Esta iniciativa será importante para gerar renda,  capacitar pessoas em situação de vulnerabilidade com  participação do poder público e da iniciativa privada”, declarou Bruno Covas.

Lançado em 16 de outubro, dia mundial da alimentação, o Observatório da Gastronomia é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico em conjunto com a iniciativa privada e a sociedade civil, que trabalham para potencializar as ações do setor relacionadas à economia, cultura, segurança alimentar e sustentabilidade.

“São Paulo conta com pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo, que trouxeram sua cultura e culinária enriquecendo a gastronomia paulistana. Precisamos explorar ainda mais esse potencial econômico e cultural da cidade, por isso o Observatório é essencial para entendermos as oportunidades e necessidades do setor nas áreas de produção, distribuição, infraestrutura, educação, inovação, turismo, restaurantes e empreendedorismo”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso.

A assinatura do decreto aconteceu na sede da Prefeitura durante encontro do prefeito e da secretária de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso, com o chef francês Laurent Suaudeau, um dos primeiros apoiadores do Observatório da Gastronomia, ao lado de reconhecidos profissionais do setor de alimentação.

“O Observatório vai ultrapassar as barreiras e mostrar todas as etapas de como funciona uma cozinha. Será um restaurante-escola para os alunos praticarem o que aprenderam, aberto ao público no horário do almoço. As pessoas poderão se formar e atuar como padeiros, confeiteiros e até como chefs de cozinha”, enfatizou Suaudeau.

Laurent participou da concepção do Observatório desde as primeiras reuniões. O chef francês conta atualmente com uma escola e um instituto com o seu nome, que qualifica profissionais da cozinha e capacita jovens em situação de vulnerabilidade social.

Por meio do Observatório da Gastronomia, a Secretaria irá implantar programas voltados à promoção da segurança alimentar, do desenvolvimento econômico, geração de renda, apoiar atividades empreendedoras e capacitação de talentos, além de assegurar a implementação da política de segurança alimentar e nutricional da Prefeitura.

Uma das metas do Observatório é a inclusão de São Paulo na Rede Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura da Unesco.

O colegiado também utilizará equipamentos públicos para desenvolver cursos e criar espaços para troca e compartilhamento de informações sobre alimentação, tendências e negócios.  

Observatório da Gastronomia atua por meio de quatro comitês temáticos, formado por especialistas de cada um dos setores. O comitê Comida de Rua trabalha na análise constante da legislação, de modo a atender as demandas desses profissionais de forma apropriada, garantindo a satisfação da população.

Outro comitê tem como objetivo o Combate ao Desperdício, em que são propostas ações voltadas a evitar o desperdício de alimentos, ampliar o reaproveitamento e combater a insegurança alimentar.

Já a área de Imagem e Patrimônio Gastronômico de São Paulo atua para preservar, fomentar e valorizar a cultura gastronômica paulistana. E o comitê de Qualificação e Inclusão Profissional contribui para o fortalecimento do ensino profissional nos equipamentos públicos de gastronomia da cidade de São Paulo.

Combate ao Desperdício de Alimentos

A cidade de São Paulo conta, desde 15 de outubro, com o Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos. Lançada no Mercado Kinjo Yamato, pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, a campanha tem como objetivo arrecadar alimentos em boas condições para o consumo, mas que seriam descartados por não terem valor comercial. As doações são destinadas ao Banco de Alimentos da Prefeitura de São Paulo, que separa e doa os alimentos para entidades que trabalham com pessoas em situação de insegurança alimentar.

Secretaria de Desenvolvimento Econômico realizou durante um ano no Mercado Kinjo Yamato, na zona central da cidade, o projeto-piloto de Combate ao Desperdício, que foi expandido em 2018 para o Mercado Central Pari e o Mercado de Pinheiros. Até novembro de 2018, foram arrecadadas mais de 93 toneladas de alimentos que antes iam para o lixo.

Gastronomia em São Paulo

São Paulo é uma das principais cidades do mundo no setor de alimentação e gastronomia. A capital paulista conta com cerca de 6% da população trabalhando com serviços de alimentação, mais de 23 mil restaurantes com culinária de diversos países do mundo, comida de rua, forte sistema de abastecimento, 13 cursos de universidades voltados à gastronomia, além de 30% da área voltada à agricultura familiar.

A gastronomia paulistana é reconhecida mundialmente não só pelos seus números, mas pela sua qualidade. Em 2018, a cidade recebeu o título de Capital da Gastronomia pelo Sirha (Salon Internacional de la Restauration, de l’hôtellerie et de l’ Alimentation) – e também conquistou o título de Capital Ibero-Americana da Cultura Gastronômica 2018, concedida pela Academia Ibero-Americana de Gastronomia.