Prefeitura entrega Piso Tátil de Alerta para Subprefeituras

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED), em parceria com a Secretaria Municipal das Subprefeituras, entregou nesta segunda-feira (1º) o primeiro lote com 80 peças de Piso Tátil de Alerta para a Subprefeitura da Sé, com a presença do prefeito Bruno Covas, dos secretários de Subprefeituras, Marcos Penido, da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, e do subprefeito da Sé, Eduardo Odloak. “Só aqui na região da Subprefeitura da Sé nós teremos 56 intervenções para poder dar mais acessibilidade às pessoas com deficiência. Trata-se de uma ação envolvendo mais de um secretaria, mostrando a importância de juntarmos mais de um órgão do governo municipal para resolvermos os problemas da população”, destacou o prefeito Bruno Covas.

Todas as 32 subprefeituras também receberão o equipamento. Cada lote é suficiente para cerca de 20 aplicações em rebaixamentos de guias e calçadas, essenciais para pessoas cegas ou com baixa visão. A orientação para aplicação dessa sinalização está a cargo dos arquitetos e engenheiros da Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA), órgão vinculado à Secretaria da Pessoa com Deficiência, com supervisão da Secretaria das Subprefeituras. Segundo o secretário da Pessoa com Deficiência, Cid Torquato, o piso serve de alerta para os deficientes visuais. “Queremos reforçar o nosso compromisso com a acessibilidade, chamar a atenção dos gestores sobre a importância e reforçar o nosso compromisso com os direitos das pessoas com deficiência. Acessibilidade é muito mais que uma rampa. Acessibilidade é um direito”, disse.

O Piso Tátil de Alerta apresenta relevos semelhantes a moedas em sua superfície. Ele indica ao usuário a existência de obstáculos, como escadas, rampas e plataformas, sendo colocado de maneira transversal ao Piso Tátil Direcional, que é aplicado em faixas. A Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA) é um órgão colegiado da Prefeitura do Município de São Paulo vinculado à SMPED e composto por representantes de diversas secretarias, órgãos municipais e sociedade civil.

Foi instituída originalmente pelo Decreto 36.072/96 e alterada pelos Decretos 39.651/2000, 50.519/2009, 51.733/2010 e 58.031/2017. Tem papel consultivo e deliberativo nos assuntos que incluem acessibilidade em edificações, logradouros, mobiliário urbano, transporte e comunicação. Contando com engenheiros e arquitetos entre seus membros, realiza vistorias e análise de projetos e coordena ações integradas nas diversas secretarias da administração municipal para a eliminação de barreiras arquitetônicas e de comunicação na cidade.