Secretaria do Verde e do Meio Ambiente e Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo homenageiam vítimas da pandemia

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente se juntou ao Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo para homenagear as vítimas da pandemia de coronavírus. Foram produzidas 14 mudas de ipês para o plantio no Parque Cordeiro Martin Luther King, hoje, dia 23 de fevereiro. O número de árvores coincide com a idade do local, são 14 anos desde que a área verde foi inaugurada.

Representantes do Consulado americano e do Conselho Gestor do parque participaram da ação

Em um terreno de quase 35 mil m², situado na Chácara Monte Alegre, região de Santo Amaro, zona sul da capital, o espaço tem dois setores. O primeiro a ser implantado catorze anos atrás foi o leste numa parceria com a Sabesp. O oeste foi criado em novembro de 2013, com pistas de caminhada/corrida arborizadas e destaca-se nele a recuperação e o enriquecimento ambiental com o plantio de espécies nativas.
A ala leste possui uma grande infraestrutura, com pistas de caminhada, skate e de ciclismo, aparelhos de ginástica, playground acessível, quadra poliesportiva, teatro de arena, espelho d´água, praça e sanitários. As trilhas ali devem ser agendadas e podem ser feitas para grupos de até cinco pessoas.
O secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente, Eduardo de Castro, funcionários da SVMA, além do cônsul adjunto e diplomatas norte-americanos compareceram no simbólico plantio.

Martin Luther King
Martin Luther King (1929-1968) foi um pastor e ativista norte-americano que lutou contra a discriminação racial nos Estados Unidos. Reivindicava salários dignos, vagas de trabalho para a população negra, defendia os direitos das mulheres e protestou contra a Guerra do Vietnã.
Mês da Historia Negra
O mês de fevereiro é muito simbólico para os Estados Unidos, já que nele é celebrado o Mês da História Negra, relembrando a contribuição dos negros à vida política e cultural norte-americana. A data foi estabelecida por Carter G. Woodson, um dos primeiros estudiosos negros a obter um PhD de Harvard, em 1926. Ele decidiu criar a Semana da História Negra, pois percebia que muitos acadêmicos ignoravam a contribuição dos negros para a sociedade dos EUA. Em 1976, o Mês da História Negra foi oficializado pela Casa Branca e em 1986, o Congresso aprovou a designação especial do mês como lei.