Sete Erros Que Jamais Deveríamos Cometer Ao Dirigir Carro Com Câmbio Automático

A fim de ajudar ao motorista a economizar e garantir vida útil bastante longa ao componente conversou com um especialista e separamos algumas dicas que garantem o bom funcionamento do câmbio automático de qualquer CARRO. Confira abaixo:

  • Não coloque o carro em neutro ao parar no farol (sinal de trânsito) no vermelho

A tendência de colocar o carro em ponto morto (neutro) ao para em sinal VERMELHO é um equívoco. E pode encurta a vida do câmbio automático do seu automóvel. Isso é um tabu. Não há necessidade de desengatar o câmbio em paradas, qualquer que seja ela. E isso serve também para os carros equipados com câmbio manual. O câmbio não é submetido a esforço algum nessa situação, então não há motivo para colocar a alavanca de marcha em neutro.

  • Jamais altere o software ou utilize chip para aumentar o desempenho

Uma das reclamações mais comuns entre proprietários de automóveis equipados com câmbio automático é a perda de desempenho em comparação aos carros com câmbio manual e que, por isso, muitos deles mexem no SOFTWARE original ou colocam CHIPS para aumentar o desempenho. E aí reside o perigo. As montadoras de carros têm interesse no maior rendimento possível do produto e o preparam para isso. Se o sistema tem limitação de desempenho é porque esse é o limite de segurança do conjunto powertrain, formando por motor e câmbio. Se você deseja um carro mais forte ou esportivo, compre um com dessas características.

  • Troque o óleo do câmbio no tempo recomendado pelo fabricante

Trocar o óleo do câmbio automático no tempo certo é uma dica simples, infelizmente ignorada por muitas pessoas, que acreditam que ele vai durar para sempre, sem estragar. A esses  desavisados fica o alerta: não existe óleo permanente.  Após de dois anos de exposição ao meio ambiente, começa um processo de degradação química do produto. Troque o óleo com um profissional experiente a cada três anos. E lembre-se que o tempo é mais importante do que a quilometragem, pois taxista, por exemplo, rodam 50.000 quilômetros por ano e isso não implica, necessariamente, em danos ao câmbio antes do período citado para troca.

  • Não acelere o carro quando o câmbio estiver em “Neutro”

Isso causara um desgaste grande nas cintas de embreagem e, ao contrario do que muitos imaginam, não tornará a arrancada do automóvel mais veloz do que ela seria normalmente. A troca das “cintas” ficará na casa de alguns milhares de reais para o motorista irresponsável.

  • Não deixe o tanque de combustível na “Reserva”

Dirigir o automóvel com o mostrador sinalizando reserva, é um dos principais crimes para quem tem carro automático. Para funcionar do jeito correto, o automóvel  precisa ter uma pressão de fluido apropriada. Alem disso, o combustível mantém diferentes partes do carro lubrificadas e ajuda o motor também. Se o tanque de combustível esta o tempo todo na reserva, tais partes se desgastaram muito mais rápido do que o normal.

  • Não desengate o câmbio automático com o carro em movimento

Passar a marcha da posição “D” (drive) ou “R” (RÉ) para a posição “N” (neutro) pode custar muito caro. Ao fazer isso, o câmbio é usado para parar o carro, e não os freios. Isso, com certeza, causarão danos irreversíveis ao câmbio automático com o passar do tempo. Os modelos de câmbio mais modernos não permitem que a transmissão seja mudada para posição “P” (parking) com o carro em movimento, justamente para prevenir o risco de quebra de câmbio. Alguns carros também não permitem a retirada da chave de ignição ou ate mesmo serem ligados se a posição do câmbio não estiver correta.

  • Evite a “Banguela” (descer uma ladeira com o câmbio na posição “N”

Recurso utilizado por aqueles que têm carro manual imaginado economizarem combustível, colocar o automóvel na “Banguela” (ou ponto morto, posição “N” nos câmbios automáticos) é fatal para o componente. Nesse caso, o motor do veiculo fica com rotação mínima e a bomba de óleo trabalha devagar. Por isso, o motor não esfria tanto como deveria e pode falhar devido à fricção e o calor. Isso também não faz o carro economizar combustível, pois os automáticos são programados para gastar menos, mesmo quando estão com a alavanca de câmbio na posição “D” (drive).