Tudo pronto para o GP Brasil de Fórmula 1

A 91ª Reunião Ordinária da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU) aprovou, nesta quarta-feira (27), por unanimidade e com ressalvas, o projeto de comunicação visual para o Grande Prêmio São Paulo de Fórmula 1, que ocorrerá no dia 14 novembro no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos.

Em conformidade com a Lei Cidade Limpa (14.223/2006), que trata da ordenação dos elementos que compõem a paisagem urbana, visíveis a partir de logradouro público (ruas, avenidas e praças) do Município de São Paulo, a Secretaria de Turismo e Viagens do Estado de São Paulo apresentou à CPPU o processo 6068.2021/001198-0, requerendo aprovação para a divulgação do GP São Paulo, por meio da comunicação visual em banners, nos espaços públicos da cidade.

Apesar de ter sido aprovado pela totalidade da Comissão (representantes da gestão municipal, especialistas em urbanismo e sociedade civil), o processo de divulgação da Fórmula 1 recebeu algumas ressalvas quanto à disposição e dimensões dos painéis.

Para as vias com canteiros centrais, como a Avenida Paulista, onde transitam pedestres e ciclistas, ficou definida a instalação de banners informativos com dimensões de 3 metros x 1,5 metro. Nas demais vias, como Avenidas 23 de Maio e Interlagos, o tamanho permitido será de 4 metros x 2 metros. Além disso, as informações dispostas nos painéis deverão estar dentro dos padrões para fácil leitura dos motoristas.

Durante a reunião também foram analisados os pedidos da TV Bandeirantes, rede de televisão transmissora do evento, para ações de ativação do GP em lugares públicos entre os dias 4 e 14 de novembro.

Todos os presentes foram favoráveis à instalação de um carro de corrida e uma faixa institucional da emissora, ambos suspensos por um guindaste, na Usina São Paulo, localizado na Marginal Pinheiros, além da passagem de um caminhão com uma vitrine expondo um promotor caracterizado de piloto acenando para motoristas e pedestres.

Objetivos da Lei Cidade Limpa

O objetivo da Lei Cidade Limpa foi tornar a cidade mais harmônica e segura, facilitar o deslocamento de pessoas e veículos e estimular o acesso aos serviços de interesse coletivo. Uma vez organizada, a paisagem torna-se um importante indutor de desenvolvimento econômico, atraindo turistas e investimentos.

A Lei Cidade Limpa não acabou com a publicidade, mas a regulamentou. Desde então, o anúncio de marcas nas vias públicas só é permitido nos mobiliários urbanos, equipamentos autorizados a ocupar o espaço público, mediante concessão da Prefeitura de São Paulo, por oferecerem benefícios à cidade. São os casos dos abrigos de ônibus e relógios, cuja instalação e manutenção são custeadas com as propagandas.